destaque política

Em Pernambuco, Haddad diz que país voltará a dar ‘oportunidades’ ao povo

Em Pernambuco, Haddad diz que país voltará a dar 'oportunidades' ao povo

Acompanhado pela candidata a vice, Manuela D’Ávila, e seguido por dezenas de milhares, candidato promete revogar PEC dos Gastos, fala em continuar obras no São Francisco e firma compromisso com população do semiárido nordestino

O candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT), ao lado da candidata a vice, Manuela D’Ávila estiveram neste fim de semana em caminhadas por Pernambuco, estado em que nasceu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dezenas de milhares de pessoas acompanharam o candidato em Recife e em Caruaru, ontem (22), e nas cidades de Petrolina e Juazeiro, esta na Bahia, hoje.

Na capital pernambucana, Haddad usou diversas vezes a palavra “oportunidades” em seus discursos. “As pessoas que não tiveram tantas oportunidades na vida precisam que alguém pegue em suas mãos. Às vezes é um Bolsa Família, às vezes é um estágio, às vezes uma universidade. No nosso governo os pobres jamais estarão condenados a um destino pré-determinado”, afirmou.

Mais tarde, diante da Ocupação Marielle Franco, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o candidato elogiou a luta por direitos sociais e a homenagem dada pelos ocupantes à vereadora do Psol, assassinada em março, no Rio. “É uma linda homenagem a todas as mulheres guerreiras como ela, negras, militantes de esquerda e com coragem de desafiar os poderosos na luta por uma causa justa”.

Por sua vez, Manuela D’Ávila, reforçou “Pernambuco é o estado que deu ao Brasil o seu mais ilustre filho, Luiz Inácio Lula da Silva, filho de Dona Lindu, que criou seus filhos sozinha como tantas mulheres criam seus filhos”, disse, aproveitando para estocar o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB). “O povo sabe que as mulheres brasileiras são imprescindíveis para termos um país com educação e saúde públicas”. Encerrado o ato, Manuela viajou para o Rio Grande do Norte, onde também tinha compromissos de campanha

Mobilidade

Haddad aproveitou a data do “Dia pela Mobilidade Urbana” para falar de uma das propostas para a área. “Queremos apoiar a criação de corredores exclusivos de ônibus, ciclovias e aumentar a segurança do pedestre”, afirmou, em referência a algumas de suas marcas de quando comandou a prefeitura de São Paulo (2012-2016).

O presidenciável promete repassar aos prefeitos uma parte da CIDE, imposto sobre combustíveis arrecadado pelo governo federal. “Esse recurso será para os prefeitos investirem em mobilidade. Alguns querem baixar ou pelo menos manter as tarifas dos ônibus, mas não têm verba para isso. Quanto mais transporte público [ônibus] e ativo [bicicleta, caminhada] menos poluição nas cidades”, completou.

Falando sobre propostas para a saúde, o candidato do PT prometeu ampliar a rede do programa Mais Médicos. Sobre infraestrutura, Haddad falou da ferrovia Transnordestina e da Transposição do São Francisco, que serão “retomadas logo após revogar o Teto de Gastos Públicos”. E sobre educação, falou que nos estados com baixo desempenho no Enem os centros federais de educação serão obrigados a ter escolas de ensino médio, aumentando a rede de unidades federais, escolas militares, Senac, Senai, Sesi e outras

São Francisco

Em comício em Petrolina e Juazeiro, Haddad mencionou em diversos momentos que irá priorizar a revitalização do Rio São Francisco. A proposta, que também foi reforçada pelos candidatos aos governos da Bahia e Pernambuco, que o acompanhavam, é pautada pelos movimentos populares desde o início das obras da transposição em 2007, durante o governo Lula.

“Eu quero assumir um compromisso com vocês. Nós vamos intensificar a recuperação da nascente do São Francisco. Tem regiões do rio que estão assoreadas, outras com lixo e poluídas, e se continuar assim, o rio corre risco, e ele é o coração do país, nós precisamos compreender a importância dele”, disse.

A atividade deste domingo contou com o apoio de diversas organizações populares, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares.

Semiárido

Durante a travessia entre as cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), uma intervenção organizada pelos movimentos populares abordou a importância do Rio São Francisco para a população da região e reforçou a importância de preservá-lo. Haddad foi ao encontro dos movimentos e recebeu de Alexandre Pires, da ASA Pernambuco, uma carta-compromisso contendo a pauta que envolve a convivência com o semiárido e a permanência da população rural no campo.

Alexandre afirmou que “o semiárido” não quer voltar a ser o lugar da miséria, da pobreza e da fome. “Queremos que você assuma o mesmo compromisso que Lula e Dilma tiveram com os povos do semiárido, que avançaram tanto nos governos do PT, e, infelizmente, tem recuado após o golpe”.

Já em Petrolina, o candidato petista finalizou o discurso falando sobre a importância da paz. “Algumas das várias coisas que fazem um país crescer são a educação, o fortalecimento da economia e principalmente a paz. Não podemos propagar o ódio e a demonização das iniciativas de educação como um candidato tem feito. Se eles têm ódio, nós vamos falar de paz”, afirmou.


Com reportagens do Brasil de Fato

Leia mais notícias em belmontediario.com.br, siga nossas páginas no Facebook e no Twitter . Você também pode enviar informações à Redação do BelmonteDIÁRIO por email envienoticias@gmail.com ou WhatsApp (87) 9 9958-0208 | 9 9102-0292.

Você pode gostar também: