Escolas particulares de Pernambuco se organizam para volta às aulas presenciais

Escolas particulares de Pernambuco se organizam para volta às aulas presenciais

Há quase três meses sem aulas presenciais em decorrência da pandemia do novo coronavírus, as escolas particulares de Pernambuco já estão se preparando para voltar as aulas de maneira presencial. No entanto, apesar da organização, o governo estadual ainda não definiu uma data oficial para o retorno. Mesmo sem previsão para recomeçar presencialmente, o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado (Sinepe/PE) produziu um plano de retomada das aulas com uma série de orientação e prevenção à covid-19 para que as atividades voltem sem risco de contaminação.

De acordo com o diretor executivo do Sinepe/PE, Arnaldo Mendonça, o protocolo prevê ações que incluem a instalação de pias e depósitos de álcool em gel, além de outras medidas. “As escolas devem colocar cartazes estimulando a higienização das mãos, tapetes para limpeza da sola dos sapatos, filtros de ar-condicionado devem ser lavados ao final do primeiro e do segundo expediente, ou seja, duas vezes por dia. Outra orientação importante é que no intervalo de recreio, devem abrir as janelas para que haja circulação de ar”, detalhou.

As aulas onlines foram adotadas em várias escolas do mundo para os alunos não perderem conteúdo. Em uma escola particular, em Olinda, os alunos participam das aulas em salas virtuais. Tem sido assim desde o dia 4 de maio, quando as férias terminaram.

Retorno gradual
A direção da escola explica que a ideia neste primeiro momento é que apenas os alunos do infantil e do ensino médio retornem à sala de aula. Ainda assim, terão que ser divididos por grupos e em dias alternados. Nas segundas, quartas e sextas, uma turma comparece presencialmente. Nas terças, quintas e sábados, outra turma. Na sala de aula estará apenas a metade dos alunos e a outra metade vai acompanhar de casa ao vivo pela internet.

Segundo o coordenador pedagógico do colégio, Genildo Júnior, com o revezamento das turmas será possível posicionar as cadeiras respeitando o distanciamento de 1,5m, como orienta os órgãos de saúde. “Além do revezamento, estamos planejando fazer mais de um intervalo, talvez, para que a gente possa aproveitar o espaço e com a quantidade menor de alunos, não ter essa concentração de de estudantes durante o intervalo. Os profissionais e funcionários junto com a coordenação vai estar de acordo com o espaço para sempre orientar os alunos para não ter aglomeração”, destacou. (Por Rádio Jornal)