A Olimpíada de Tóquio, no Japão, será adiada por um ano


Japão anuncia o adiamento da Olimpíada de Tóquio por um ano. Número de mortes por Covid-19 ultrapassa os 17 mil. Britânicos iniciam período de confinamento de três semanas.

A Olimpíada de Tóquio, no Japão, será adiada por um ano. O início estava previsto para 24 de julho de 2020, mas ficará apenas para 2021, em função da pandemia espalhada pelo planeta. O anúncio foi feito pelo Japão nesta terça-feira (24), após reunião entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. O Japão já vinha sendo pressionado por outros países, como Canadá e Austrália, para adiar os Jogos.

Segundo nova atualização do Ministério da Saúde, o Brasil tem 46 mortes e 2.201 casos confirmados de Covid-19. O número de mortos por causa do novo coronavírus subiu 35% em relação ao balanço do dia anterior. Já o total de casos subiu 16%. A atual taxa de letalidade da doença no país é de 2,1%, com base nos dados registrados até 16h desta terça-feira.

A Itália voltou a registrar mais de 700 mortes por Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus, em um dia. Nesta terça-feira (24) o país registrou novas 743 mortes, elevando o número de vítimas para 6.820.

Mais de 17 mil pessoas morreram em todo o mundo em função de complicações relacionadas ao novo coronavírus, de acordo com contagem da universidade Johns Hopkings. Até as 12h30 desta terça, foram registradas 17.241 mortes e 396.249 contaminados ao redor do planeta.

Enquanto isso, o presidente Donald Trump, dos Estados Unidos, quer que o país volte a abrir fronteiras e a funcionar normalmente em no máximo duas semanas. Pelo menos, foi o que ele disse em um evento nesta terça-feira (24).

“Acho que até segunda ou terça-feira, são cerca de duas semanas. Vamos avaliar naquele momento e dar mais tempo se precisarmos de mais um pouco de tempo. Temos que abrir esse país”, disse Trump.
Duas pessoas caminham na Estação Waterloo, em Londres, nesta terça-feira (24) — Foto: Matt Dunham/AP Duas pessoas caminham na Estação Waterloo, em Londres, nesta terça-feira (24) — Foto: Matt Dunham/AP
Duas pessoas caminham na Estação Waterloo, em Londres, nesta terça-feira (24) — Foto: Matt Dunham/AP

Os britânicos iniciam nesta terça o período de confinamento de três semanas anunciado pelo premiê Boris Johnson. Eles só poderão se deslocar para ir ao trabalho, caso não possam realizá-lo remotamente, para comprar itens essenciais ou para atender necessidades médicas próprias ou de pessoas vulneráveis. O Reino Unido já registrou mais de 335 mortes e 6,6 mil casos confirmados de infecção pelo Sars-Cov-2.

A França entrou em “estado de emergência sanitária” por dois meses. A medida, aprovada pelo parlamento no domingo, permite o confinamento e limita as liberdades de deslocamento e de reunião. A violação das normas pode ser punida com multa de 135 euros, que pode chegar até a 3.700 euros. Caso haja quatro violações em 30 dias, está previsto pena de no máximo seis meses de prisão.

Lixeiros trabalham em Paris no oitavo dia de isolamento devido ao coronavírus, em 24 de março de 2020 — Foto: Eric Piermont/ AFP Lixeiros trabalham em Paris no oitavo dia de isolamento devido ao coronavírus, em 24 de março de 2020 — Foto: Eric Piermont/ AFP
Lixeiros trabalham em Paris no oitavo dia de isolamento devido ao coronavírus, em 24 de março de 2020 — Foto: Eric Piermont/ AFP

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *