Eleições 2020 são adiadas para novembro, diz senador

Eleições 2020 são adiadas para novembro, diz senador

O senador Carlos Viana (PSD-MG), publicou em seu Twitter, no final da tarde desta terça-feira (16), que o primeiro turno das eleições deste ano, programadas para outubro, foram prorrogadas para o dia 15 de novembro.

Segundo o senador, o segundo turno ainda está com data pendente, mas com maior possibilidade de ser em 29 de novembro. “A proposta anterior de finalização do pleito em 06/12 foi recusada pelo tribunal”, explicou.

Veja a íntegra da postagem abaixo.

“Adiamento das eleições municipais de 2020 definido hoje em reunião no TSE. Primeiro turno em 15/11. Segundo turno com data pendente mas com maior possibilidade em 29/11. A proposta anterior de finalização do pleito em 06/12 foi recusada pelo tribunal.”

Reunião – Nesta terça-feira, uma reunião virtual com o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, do vice-presidente do tribunal, Edson Fachin, do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, líderes partidários das duas Casas legislativas e de especialistas da saúde, discutiu a possibilidade de adiamento das eleições de 2020 em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Para os parlamentares que participaram do encontro, é fundamental que o Congresso decida quanto antes sobre o tema.

Na avaliação do presidente do TSE, o encontro entre especialistas em saúde pública com representantes do Judiciário e do Legislativo foi interessante para buscar a melhor solução neste momento de pandemia. Mas Barroso lembrou que caberá ao Congresso Nacional a decisão final.

As sugestões para elaboração de protocolos e sistemas de segurança sanitária a serem adotados no dia da eleição, conforme Barroso, também já estão sendo discutidos com os presidentes das duas Casas e especialistas. Medidas como prolongamento do horário de votação, distanciamentos de eleitores, definição de horários específicos para população vulnerável, treinamento e simulação sobre medidas de higiene para todos que vão trabalhar e aumento dos locais de votação para evitar aglomerações já estão em estudo pela Corte.

A reunião virtual desta terça contou com a participação de médicos e cientistas como David Uip; Clovis Arns da Cunha; Esper Kallas; Ana Ribeiro; Roberto Kraenkel; Paulo Lotufo; Gonzalo Vecina; e Atila Iamarino. Cada especialista falou sobre o quadro atual e da perspectiva para os próximos meses em relação à evolução e controle da doença.

Os especialistas falaram sobre características únicas do coronavírus, que acomete principalmente os mais vulneráveis e com limitadas opções de tratamento. Eles destacaram que esta não é uma gripe como outras que já surgiram, e alertaram ainda para as dimensões continentais e populacionais do país. O médico David Uip, por exemplo, pontuou que o Brasil é um país continental e, por essa razão, a doença se manifesta de forma heterogênea dependendo de cada região.

Com informações da Agência Senado