Pacientes farão protesto contra falta de medicamentos na Farmácia de Pernambuco

Pacientes farão protesto contra falta de medicamentos na Farmácia de Pernambuco

Um grupo de pacientes irá realizar um protesto, na próxima quarta-feira (15), em frente à Farmácia de Pernambuco, no Bairro da Boa Vista. O movimento “Pela Manutenção da Vida” deverá reunir centenas de pessoas em frente ao prédio da farmácia, localizado na Praça Oswaldo Cruz. O ato visa denunciar a situação de desabastecimento da unidade, que se prorroga há meses, e pedir uma solução. Os pacientes se reunirão por volta das 7h.

De acordo com o pesquisador Charles Albuquerque, 49 anos, mais de 4 mil pessoas estariam correndo risco direto de vida pela falta de medicamentos na farmácia do estado. “Precisamos de uma solução antes que aconteça um genocídio. Meu remédio acabou na farmácia, sou transplantado renal e estou tomando a última remessa em casa. Sexta-feira acaba e, para comprar, são R$ 400”, reclamou. Segundo ele, há pacientes que já etariam há um ano sem conseguir pegar remédios na farmácia do estado e estariam conseguindo as substâncias por meio de doações.

Segundo ele, as informações que a Secretaria Estadual de Saúde (SES) estaria repassando aos pacientes seriam desencontradas. “Há pacientes renais, do coração, pulmão, asmáticos, com doenças crônicas, todos precisando de medicamentos. Sabemos que há uma crise no Brasil inteiro, mas aqui em Pernambuco ela já vem se prolongando há décadas quando se fala em medicamentos. Agora, imagina a quantidade de gente que pode ir apara a hemodiálise se não tomar o remédio? Os hospitais não terão como atender”, reclamou.

Em fevereiro, 60% de todos os medicamentos que fazem parte da lista da Farmácia de Pernambuco estavam em falta. Em abril, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) realizou uma audiência pública para tratar do tema. O órgão tem um inquérito civil público aberto para investigar a situação há cerca de três anos. “Entramos em contato com a comissão de saúde da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), com o Conselho Regional de Medicina (Cremepe) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE)”, disse Charles.

Em nota, a SES informou que o desabastecimento do Programa de Medicamentos Especializados é um problema que tem afetado todos os Estados do país, além do próprio Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, 80 fármacos são adquiridos e distribuídos pelo Governo Federal para os entes estaduais. Desse rol, em Pernambuco, com relação ao quantitativo do segundo trimestres deste ano, 35 não foram entregues e outros 11 foram enviados com quantitativos inferiores a 40% da necessidade.

No entanto, a Secretaria disse que está enfrentando a questão e “montou uma força-tarefa com o objetivo de manter os estoques de medicamentos permanentemente abastecidos”. O órgão disse ainda trabalhar em um plano de reestruturação da própria Farmácia de Pernambuco para facilitar a rotina dos usuários, melhorar os processos de gerenciamento e entrega de medicações e de visibilidade do próprio serviço.

Neste sentido, a SES assegura ter realizado uma negociação com as empresas fornecedoras, o que permitirá o retorno do abastecimento da Farmácia nas próximas semanas. “De janeiro a abril, mais de R$ 30 milhões já foram pagos às empresas fornecedoras, sendo R$ 27 milhões do tesouro estadual (90,2%). A secretaria estadual de Saúde também solicitou, em audiência no dia 29 de abril, apoio do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que o órgão auxilie na articulação com as empresas vencedoras de licitações, mas que estão com entregas em atraso, com o intuito do cumprimento dos acordos. Além disso, a Farmácia de Pernambuco mantém diálogo permanente com o Ministério da Saúde para solucionar as faltas e atrasos nas entregas dos remédios encaminhados pelo Governo Federal”, declara parte da nota.

Em 2007, a Farmácia de Pernambuco atendia 10 mil pessoas e a rede contava com uma unidade localizada no Recife. Atualmente, o cenário é de 54 mil pessoas atendidas e 32 unidades instaladas em todo o Estado, segundo a SES. Mensalmente, mais de 1 mil pacientes dão entrada em novas solicitações no órgão. “Pernambuco ainda ocupa o posto de maior incorporador de fármacos do SUS no Brasil, com mais 75 novos remédios incluídos na cesta de medicações desde 2010”, complementa a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *