Pernambuco aponta queda do contágio em junho, mas depende do êxito da quarentena

Pernambuco aponta queda do contágio em junho, mas depende do êxito da quarentena

De acordo com o Governo de Pernambuco, caso as medidas de isolamento da Operação Quarentena tenham sucesso, será possível caminhar para um declínio da curva de contágio no começo de junho. “Apenas após isso poderemos voltar com segurança à normalidade possível, com abertura de todas as atividades no decorrer do mês de junho. É para isso que todos nós precisamos nos mobilizar nesse momento”, disse André Longo, secretário estadual de Saúde, em coletiva virtual realizada na tarde desta sexta-feira (15). “Precisamos muito do isolamento social, como tem sido apontado por pesquisadores ao redor do mundo”, ressaltou Longo, um dia antes do início da operação que vai adotar medidas ainda mais restritivas para o isolamento no estado.

“No atual momento, somamos 1228 leitos, sendo 557 leitos de UTI. No dia 9 de maio, existiam 932 leitos, sendo 471 de UTI. Em uma semana, abrimos 296 leitos, sendo 86 de UTI”, continuou o Secretário, que também anunciou uma nova expansão. Serão 20 no antigo Alfa, 25 no Hospital Getúlio Vargas, 17 no Hospital Regional de Palmares, além de 12 no Otávio de Freitas. Também esperam a ampliação das unidades filantrópicas, como IMIP.

Longo também usou da coletiva para responder perguntas sobre a visão do governo do estado sobre a saída de Nelson Teich do Ministro da Saúde nesta sexta. A demissão foi divulgada pela tarde. “A sociedade tem assistido com perplexidade a instabilidade de um cargo como esse. Isso contribuiu para uma dificuldade no encaminhamento de algumas questões que consideramos fundamentais para o controle da epidemia. Precisamos ter uma unidade dentro do Sistema Único de Saúde”, comentou.

“Não cabe a nós fazer avaliação das decisões da Presidência da República”, acrescentou. “Mas gostaríamos muito que pudesse prevalecer um ambiente de pactos necessários dentro do SUS. Queremos conduzir isso com técnica e ciência, esse é o foco. Caso isso não ocorra, teremos apenas um vencedor: a Covid-19”, concluiu.

Mais profissionais de saúde
A coletiva também informou que Pernambuco já convocou, até o momento, cerca 5 mil profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos e auxiliares de enfermagem – observando as idades e comorbidades de cada um deles. Desses, cerca de 3 mil entraram em atividade. “Agora, o governador Paulo Câmara autorizou que fizéssemos uma chamada adicional de mais 600 profissionais. Nós estaremos lançando isso nos próximos dias, tendo o ponto de vista que essa é uma das maiores mobilizações de pessoas da história do estado em tão curto tempo”, disse. “Precisamos todos juntos fazer a diferença. Ficar em casa é salvar vidas. É fundamental que todos nós entendamos a importância desse momento para que possamos superar essa grave crise”, concluiu.

Fonte: Diário de Pernambuco